Tecnologia
Invisible bank (banco invisível) é a nova tendência do mercado bancário

Invisible bank (banco invisível) é a nova tendência do mercado bancário

Guilherme Verdasca

Guilherme Verdasca

Os bancos estão se tornando cada dia menos físicos. Ou seja, estão deixando de ser um lugar onde ir e passando a estar vinculados a soluções digitais. Abertura de conta, depósitos, empréstimos, pagamentos e transferências são funções que já podem ser feitas diretamente pelo celular. Essas mudanças fazem parte do conceito de invisible bank ou banco invisível.

De acordo com estudo da KPMG, tecnologias como Siri (da Apple), Alexa (da Amazon) ou Viv (da Samsung) vão permitir uma mudança ainda maior nos bancos até 2030. Em vez de ficarem ocultos em aplicativos, os serviços bancários devem se tornar completamente invisíveis para os usuários.

Análises de dados, inteligência artificial, dispositivos com comando de voz, APIs e computação em nuvem são algumas das tecnologias que estão tornando possível o banco invisível ao levar esse conceito para o dia a dia das pessoas. Com essas facilidades, serviços bancários já podem estar disponíveis ininterruptamente: 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Banner Infográfico: Open Finance As diferenças para o open banking

Como a evolução da tecnologia influencia o invisible bank?

A popularização da internet e dos smartphones ao longo das últimas décadas, somada ainda à pandemia, que obrigou as pessoas a manterem o isolamento social, vêm contribuindo para o aumento do consumo de serviços digitais.

Mas a grande abertura dos serviços bancários e financeiros no Brasil foi proporcionada pelo open banking – já atualizado para open finance -, que impulsionou essa nova visão digital e mobile. Enquanto os demais setores da economia focaram em garantir a melhor experiência ao usuário, os bancos tradicionais ainda ficavam para trás nesse quesito.

O open banking veio para mudar completamente a forma como as pessoas lidavam com dinheiro, permitindo compartilhar seus dados com diversas instituições e dando ao usuário total liberdade sobre quais serviços escolher de acordo com o seu perfil.

O invisible bank também é resultado dessa transformação, uma vez que os consumidores não aceitam mais uma relação com empresas burocráticas e que não pensam em oferecer uma melhor experiência.

Os bancos estão correndo atrás para finalmente melhorarem o atendimento ao cliente, que, por anos, foi visto como um dos setores que menos pensou no consumidor. Aos poucos, novas tecnologias vêm sendo aplicadas aos serviços financeiros, ao ponto de o banco apenas oferecer o benefício sem sequer precisar se mostrar presente.

Por exemplo, com pagamentos sendo possíveis por meio do WhatsApp, o banco por trás acaba se tornando invisível, uma vez que a transação é realizada diretamente pelo aplicativo, de forma rápida, sem a necessidade de entrar no app do banco. Além disso, o Pix também veio para tornar ainda mais ágil e econômicas as transferências entre pessoas e empresas.

O conceito de banco invisível considera que os processos bancários feitos pelos clientes devem ser fluidos, amigáveis, naturais e sem ruídos, além de totalmente integrados à rotina dos usuários.

De acordo com a visão apresentada pela KPMG, com essa evolução, grande parte das instituições bancárias tradicionais podem desaparecer. Funções e operações como centros de atendimento ao cliente, filiais e equipes de vendas podem ficar no passado.

Segundo o estudo, os bancos que sobreviverão serão aqueles que estiverem melhor preparados para utilizar dados, reduzir custos, construir parcerias eficazes com uma ampla gama de terceiros e conduzir esse novo modelo com uma infraestrutura robusta de cyber security.

Conteúdos Relacionados:

Qual é o papel das fintechs no conceito de banco invisível?

As fintechs têm desempenhado um papel importante nessa transformação digital dos bancos. Essas empresas trouxeram uma nova atmosfera em relação à forma tradicional com que as instituições vinham funcionando até então.

Atualmente, as empresas de tecnologia investem de 10 a 20% da receita em pesquisa e desenvolvimento, enquanto que os bancos investem apenas de 1 a 2%.  Portanto, as instituições que quiserem permanecer relevantes, precisam continuar investindo.

Hoje é possível integrar uma plataforma financeira ao sistema da empresa por meio de API, permitindo que praticamente todas as operações bancárias sejam realizadas em uma mesma interface, mesmo que essas transações precisem envolver diferentes bancos.

Novos recursos estão sendo desenvolvidos por fintechs para tornar as rotinas financeiras algo realmente mais simples e prático. A Transfeera, por exemplo, oferece o validador de contas bancárias, que reduz significativamente as falhas nas transferências bancárias.

Antes de elas serem efetuadas, o sistema confere se os dados estão corretos e, caso identifique alguma inconsistência, emite um alerta para que os dados sejam corrigidos e, assim, as transações sejam feitas de maneira correta, evitando estornos de pagamentos.

Usando essa solução, o Vakinha, maior site de financiamento coletivo do Brasil, conseguiu reduzir em 50% as falhas nas transferências realizadas para pagamentos dos usuários.

Outra inovação é a ContaPix Transfeera, que integra o conceito de conta transparente, e permite realizar pagamentos e recebimentos em um só lugar, sem o Internet Banking. Com ela, não é mais preciso ter uma conta em banco para realizar essas operações  na sua empresa.

Quero conhecer a ContaPix Transfeera

Assim como essa solução, muitas outras estão sendo desenvolvidas considerando o conceito de invisible bank para facilitar o dia a dia dos usuários, especialmente empresas, cujas rotinas de pagamentos e recebimentos acabam sendo bastante complexas.

Saiba mais sobre como as fintechs contribuem para esse novo momento no setor bancário. Confira este conteúdo:

Meios de pagamento: o papel das fintechs na ampliação de serviços para empresas

Banner Entrevista com especialista: Diretor de Tecnologia da Associação Brasileira de Bancos tira dúvidas sobre open finance

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!