Gestão Financeira
Como reduzir custos na transação bancária em lote?

Como reduzir custos na transação bancária em lote?

Fernando Nunes

Fernando Nunes

O processo de pagamentos de uma empresa pode envolver muitas transações em diferentes bancos, uma atividade que toma tempo demais da equipe, além de apresentar riscos de erros. Mas tão negativo quanto essas desvantagens é o alto custo de cada transação bancária. Empresas que precisam fazer muitas transferências sofrem com essas taxas.

TED e DOC, por exemplo, são formas de transferir dinheiro que têm um alto custo. Algumas instituições bancárias cobram até mais de R$ 20,00 por transação. Quando o volume de pagamentos é muito grande, mesmo que a empresa realize transações bancárias em lote, o custo total acaba sendo oneroso demais para o negócio.

Sendo assim, é natural que gestores busquem alternativas para conseguir transações bancárias mais baratas.

Neste artigo, trouxemos algumas dicas que podem ser levadas em consideração pela sua empresa, caso esteja buscando uma forma de reduzir os custos para o seu processo de pagamentos. Continue a leitura e confira as orientações que preparamos!

3 dicas para uma transação bancária mais barata

1. Inspire-se em outras empresas

Como primeiro passo para reduzir custos na transação bancária em lote, sugerimos que você faça uma busca de empresas que também enfrentavam essa dificuldade para entender como conseguiram resolvê-la.

O Polen, por exemplo, é uma empresa que ajuda a conectar empresas a causas sociais. Para isso, precisa fazer muitas transferências para diversas instituições para repassar o dinheiro das doações. Cada instituição trabalha com um banco diferente, o que também dificultava a atuação do Polen. Afinal, na soma, os custos eram altíssimos.

Para resolver esse problema, o Polen recorreu a uma fintech de meio de pagamentos, que automatizou o processo e simplificou as transferências, tornando-as muito mais baratas.

Você pode saber mais sobre como foi essa mudança e os resultados que o Polen alcançou conferindo o case completo:

 

Case Polen: Quase 2 mil doações por mês transferidas para ONGs

 

Assim como o Polen, a Sanar, editora de material educativo em saúde, faz pagamentos para muitos fornecedores com contas em vários bancos diferentes. Essas operações bancárias acabavam ficando muito caras, devido às altas taxas cobradas para TED e DOC.

Adotar um sistema de gestão e processamento de pagamentos solucionou vários desafios de uma vez só: tornou o processo mais ágil, mais seguro e mais barato.

Saiba mais sobre como a Sanar conseguiu reduzir os custos de transações bancárias:

 

Processamento de pagamento para fornecedores de material educativo em saúde: o case Sanar

 

É importante conferir várias histórias de empresas, que sejam tanto do seu segmento quanto de outros, e observar quais foram as soluções que elas encontraram para você se inspirar e fazer a sua escolha.

Conteúdos Relacionados:

2. Invista na automação de pagamentos

Dos exemplos de empresas que trouxemos, todas optaram pela automação dos pagamentos. Ou seja, adotaram um sistema de gestão para realizar cada transação bancária, seja para o pagamento de fornecedores ou de funcionários ou ainda para o repasse de verba por outras finalidades.

Com a automação, há menos riscos de as transações bancárias falharem, porque não há o fator humano envolvido. Quando as atividades são muitas e o trabalho é feito manualmente, é comum acontecerem falhas ao digitar dados bancários e valores.

Além disso, quando o processo é automatizado, existe mais agilidade e mais segurança de que a transação bancária será realizada na data correta e para a conta correta, garantindo a proteção dos dados por criptografia.

A transação bancária também fica muito mais barata, porque a plataforma de pagamentos automatizada realiza transferências para diversas instituições bancárias a um valor muito mais baixo do que fazê-las diretamente pelos bancos.

Portanto, uma das maneiras mais eficientes de reduzir custos na transação bancária, além de ter acesso a outros benefícios, é investindo em um bom sistema de automação de pagamentos.

3. Contrate uma fintech open banking

Contratar uma fintech open banking é um passo fundamental para fazer transação bancária em lote por valores muito mais baixos, mas não só por isso.

A Transfeera, por exemplo, é uma fintech open banking que observou as dificuldades das empresas que precisam fazer muitas transferências bancárias: os processos demorados, as constantes falhas de transações erradas, as altas taxas cobradas pelos bancos etc.

Com isso, desenvolveu uma ferramenta que auxilia em todos esses problemas, além de permitir melhor gestão de contas a pagar.

A solução possibilita ao gestor gerar diversos tipos de relatórios para acompanhamento dos pagamentos, o que é importante para monitorar e corrigir as possíveis falhas que estejam prejudicando o processo.

A ferramenta tem ainda a funcionalidade de enviar comprovantes de pagamento para os favorecidos, evitando que eles ocupem o suporte da empresa com cobranças, por exemplo. Isso traz muito mais eficiência para o dia a dia da empresa, que tem com facilidade um mapeamento financeiro do negócio.

Portanto, contratar uma solução como essa traz vantagens que vão muito além do que uma economia em transações bancárias. Hoje, com a praticidade do PIX, as empresas já conseguem realizar transferências a valores mais baixos, mas uma solução que proporcione melhor gestão não deixa de ser necessária.

Confira também este conteúdo sobre outros benefícios de uma fintech para a sua empresa:

Meios de pagamento: o papel das fintechs na ampliação de serviços para empresas

Banner solicite uma demonstração

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!