A Transfeera não realiza empréstimos financeiros. Em caso de dúvidas, fale com nossa ouvidoria.

Tecnologia

DDA: saiba tudo sobre o Débito Direto Autorizado e seus benefícios

DDA: saiba tudo sobre o Débito Direto Autorizado e seus benefícios

Cada vez mais, vemos diferentes ferramentas que têm o objetivo de facilitar a rotina financeira. Uma delas é o DDA, sigla para Débito Direto Autorizado. Como mostramos ao longo deste conteúdo, trata-se de um sistema que veio para simplificar a vida de empresas e pessoas que possuem boletos para pagar.

Ao contrário do que muitos pensam, ele não é o mesmo que a função de débito automático. Então, para você entender bem o que é, como o DDA funciona, o que é possível pagar e quais são as suas vantagens, continue a leitura deste artigo.

O que é DDA?

DDA, ou Débito Direto Autorizado, é uma ferramenta que possibilita às pessoas físicas e jurídicas automatizar os pagamentos dos boletos. Isso é possível, pois ela permite que os usuários visualizem eletronicamente, em um único lugar, todos os boletos emitidos em seu CPF ou CNPJ. Sendo assim, nada mais é do que mais uma modalidade de pagamento.

O DDA existe desde 2009 e foi criado pela Federação Nacional dos Bancos (Febraban) como uma maneira de reduzir a inadimplência. A opção é oferecida por uma grande parcela dos bancos e instituições de pagamentos.

Para ativá-la, a pessoa precisa verificar se a ferramenta está disponível para a sua conta bancária. É importante também averiguar se há algum custo para isso.

DDA: como funciona?

O Débito Direto Autorizado funciona de uma maneira bem simples de entender: a partir do momento que o titular da conta autoriza a função DDA, a instituição credora envia para a conta bancária do devedor o(s) boleto(s) com todos os dados: nome, valor da compra e prazo para pagar.

Assim que a pessoa identifica a cobrança, pode autorizar o pagamento e realizá-lo pelo app ou site da instituição financeira. Então, o valor é enviado diretamente para o credor.

Mas como ativar a função DDA? Para isso, é necessário entrar no aplicativo do banco/instituição financeira ou no internet banking. É também possível fazer a ativação por meio do telefone e outros canais de atendimento oficiais.

O serviço pode estar descrito como “DDA”, “Débito Direto Autorizado” ou “sacado eletrônico”. Assim que ativar a função, são enviadas notificações a cada vez que um boleto for lançado no CPF da pessoa ou CNPJ da empresa.

Importante: o pagamento somente é efetuado após a aprovação do usuário. Se você optar por ativar a função, na hora de pagar o boleto certifique-se de conferir atentamente todos os dados que nele constam. Em caso de dúvida, entre em contato com o cobrador. Lembre-se de nunca autorizar o DDA se não se sentir seguro para fazer isso.

Leia também:

Entenda tudo que pode ser pago com o Débito Direto Autorizado

Podem ser incluídos no pagamento via Débito Direto Autorizado os boletos de cobrança. É o caso de:

  • Mensalidade da escola, academia, cursos, clube etc.;
  • Condomínio;
  • Plano de saúde;
  • E outras cobranças de empresas privadas.

E o que não é possível pagar com o DDA?

Embora seja uma função que veio para simplificar e automatizar o pagamento de boletos bancários, nem todo o boleto pode ser pago por meio do DDA.

Para você não ter nenhuma dúvida, grave que boletos de arrecadação de tributo, como IPVA, IPTU e multas, contas de internet e celular e contas de serviços públicos, por exemplo, água, gás, luz e telefone, não podem ser pagos com o Débito Direto Autorizado.

Qual a diferença entre o DDA e o Débito Automático?

Ambas são funções de débito, porém, como já adiantamos na introdução, existe uma diferença significativa entre DDA e Débito Automático.

Exemplificando, quando você cadastra a função de débito automático de algum boleto, todo mês, na data especificada, o pagamento é realizado, ou seja, o dinheiro sai da sua conta bancária e vai para a conta do destinatário.

No DDA o funcionamento é um pouco diferente. A função serve para o usuário visualizar e ser notificado de algum boleto que está para vencer. Contudo, a conta em questão somente é paga após o pagamento ter sido autorizado pelo devedor.

Com relação à autorização, no débito automático ela é dada somente uma vez. Já para o DDA é preciso autorizar cada cobrança mensalmente. Por exemplo, se você autorizou o pagamento da fatura do cartão de crédito em débito automático, todo o mês, na data acordada, o pagamento será efetuado sem que você precise fazer alguma coisa.

Agora, se o pagamento do plano de saúde está na função DDA, a cada mês é preciso autorizar a saída do dinheiro. Do contrário, o boleto em questão não poderá ser pago.

Saiba os benefícios de oferecer o DDA no seu negócio

Oferecer o DDA aos seus clientes pode trazer diversas vantagens. Listamos as principais na sequência:

  • Pagamento simplificado: o pagamento pode ser realizado com 1 clique, eliminando o processo de preenchimento de código de barras e trazendo agilidade.
  • Redução de inadimplência: como o cliente é lembrado que tem um boleto a vencer e rapidamente pode aprovar o pagamento, as chances de ele esquecer que tem uma conta a pagar diminuem.
  • Praticidade: os clientes podem realizar o pagamento sem precisar entrar em um site específico e nem preencher diversos dados. Basta dar a autorização.

Além do DDA: outras formas de pagamento que a sua empresa precisa ter

Além de reduzir a inadimplência, uma grande preocupação das empresas é diminuir a taxa de abandono de carrinho. Uma das maneiras é oferecer outras formas de pagamento. Por isso, além do DDA, considere também:

Pix

Pagamentos que podem ser feitos 24 horas por dia, 7 dias na semana, rapidamente e que caem na conta da sua empresa quase que na mesma hora em que são realizados. Esses são apenas alguns dos motivos que tornam o Pix um queridinho de clientes e negócios virtuais.

Oferecer o Pix no checkout não é mais um diferencial, é quase que uma obrigação para e-commerces e marketplaces que desejam vender mais. Mas caso você ainda tenha dúvidas se o método instantâneo de pagamento vale ou não a pena para o seu negócio, calcule o quanto você pode economizar aderindo ao Pix em suas cobranças.

Clique no banner e acesse a calculadora Pix:

Banner Calculadora de Taxas Pix

QR Code

O QR Code também oferece praticidade aos clientes. Funciona como se fosse um código de barras, mas em formato quadricular. Hoje em dia, é possível pagar por Boleto QR Code Pix.

Para realizar o pagamento, o cliente precisa:

  1. Entrar no aplicativo do banco;
  2. Ir na opção de pagamento por Pix;
  3. Selecionar a leitura de QR Code;
  4. Apontar o dispositivo móvel para que ele faça a leitura do código.

Gateway de pagamento

O gateway de pagamento facilita a comunicação entre o negócio virtual, o cliente e a instituição financeira. Dessa maneira, ele possibilita a realização de transações financeiras no ambiente online.

Simplificadamente, funciona assim:

  • O cliente realiza a compra. Nesse momento, a loja usa o gateway para fazer a cobrança.
  • O consumidor escolhe a forma como deseja pagar.
  • Em seguida, o negócio virtual realiza a comunicação com a instituição financeira a fim de verificar se as informações passadas pelo cliente estão corretas e/ou se há saldo disponível para a conclusão da transação.

Para entender melhor, leia também:

Conclusão

Agora que você entendeu sobre o DDA, o que é e como funciona, que tal oferecer aos seus clientes praticidade na hora de pagar, com uma forma que tem tudo a ver com as inovações do setor de meios de pagamento?

Estamos falando do Pix. Para oferecê-lo aos seus clientes, você pode integrar a solução da Transfeera com o ERP que a sua empresa utiliza por meio da nossa API Pix autorizada pelo Banco Central.

Com ela, sua empresa consegue pagar e receber por Pix, realizar cobranças e pagamentos 24 horas por dia e sete dias por semana, emitir QR Codes estáticos ou dinâmicos para fazer cobranças, fazer split de pagamentos, possibilitar o pagamento por boleto com QR Code Pix e muito mais.

Conheça mais sobre as vantagens da integração da solução da Transfeera via API e veja como ganhar ainda mais eficiência nas suas operações financeiras.

Material API Pix

Quer receber esses conteúdos e as novidades em primeira mão diretamente em seu e-mail?

Cadastre-se e receba as atualizações do blog e sobre a Transfeera diretamente em seu e-mail.

Ao informar meus dados, concordo com a política de privacidade

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!