Validação de Dados Bancários Transações online: 5 dicas para garantir segurança ao seu negócio

Transações online: 5 dicas para garantir segurança ao seu negócio

Rafael Negherbon

Rafael Negherbon

Hoje é quase impossível manter uma empresa sem se render às transações online. A tecnologia vem oferecendo recursos cada vez mais completos para os processos financeiros das organizações, levando a maioria delas a adotarem meios digitais específicos para otimizar o trabalho do dia a dia.

Que o controle financeiro é indispensável, é claro entre as empresas. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae, instituições que realizam um rigoroso controle das finanças reduzem em 50% as chances de o negócio encerrar as atividades.

No entanto, há ainda quem faça transações financeiras e o controle das finanças de maneira manual, levando muito mais tempo nos processos e ainda correndo riscos constantes de erros.

E um dos motivos é a insegurança em fazer transações online, pois ainda existe receio de que estas operações tornem as contas da empresa mais vulneráveis a invasões e ataques.

Porém, apesar de ainda vermos notícias sobre diferentes golpes, há um intenso investimento em tecnologia de todo o mercado financeiro para garantir a segurança de dados. Além disso, ao adotar boas práticas e alguns cuidados, você consegue manter o sigilo e a integridade digital das informações da sua empresa.

Por isso, fique tranquilo para buscar por novos recursos tecnológicos e aproveitar as facilidades proporcionadas pelas transações online. Neste artigo, reunimos 5 dicas para garantir segurança ao realizar estas operações.

Como ter mais segurança em transações online na sua empresa

1. Cuide da segurança de dados

Garantir a segurança das transações online exige que a empresa tenha cuidados em relação à proteção de dados, investindo em mecanismos com objetivo de salvaguardar essas operações.

Assim como nos bancos, que oferecem medidas de segurança para uso do internet banking, a empresa precisa contar com acesso protegido por códigos de segurança e por meio de senhas exclusivas. Isso é o que vai permitir mais tranquilidade para a gestão nas transações online.

Esses cuidados com segurança também devem incluir a criptografia dos dados do início ao fim do processo, impedindo a captura ou a leitura de informações digitadas durante as transações.

A criptografia é uma tecnologia reconhecida mundialmente e adotada em praticamente todos os sistemas que efetuam transações financeiras. Portanto, ela é fundamental para garantir que as transações online não sejam comprometidas por conta de vulnerabilidade.

Banner AiQFome

2. Tenha um programa de compliance

Para fazer transações online seguras, é preciso que a empresa esteja atenta ao compliance, aplicando medidas que garantam a conformidade com as leis, com as normas do setor e com  boas práticas de mercado nas relações comerciais.

O compliance deve ser voltado ao combate a fraudes e corrupção, ao analisar os processos financeiros da empresa e fazer validações constantes para que as operações sejam realizadas corretamente.

O objetivo é ter controle das ocorrências que podem afetar o patrimônio da empresa, assegurar a precisão dos registros e conferir credibilidade às transações online. A empresa deve tomar medidas para zelar pelo seu patrimônio, especialmente em transações acima de R$ 10 mil.

É importante que haja práticas que exijam justificativa de todas as operações bancárias realizadas, evitando fraudes, desvios de verba, envolvimento com abertura de contratos inexistentes e transferência de recursos para fundos do exterior, por exemplo, que geralmente caracterizam lavagem de dinheiro.

É papel do compliance financeiro ter atenção a qualquer sinal de irregularidade e exigir investigação de denúncias, detectando e prevenindo essas situações em relação às transações online feitas pela empresa.

3. Garanta integrações de APIs seguras

Para transações online seguras, também é preciso ter integrações de APIs seguras. Isso quer dizer que é necessário ter cuidado na contratação de soluções ligadas ao financeiro da empresa.

Como as empresas lidam com dados sensíveis nessas operações, devem se responsabilizar pelo uso das informações e estar em conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Antes de integrar uma API ao sistema ERP da sua empresa, por exemplo, certifique-se de que a solução contratada garante os mesmos cuidados que a gestão do seu negócio têm com os dados de fornecedores, funcionários e clientes.

Leia também: Os passos para integrar uma API de pagamentos confiável, segura e escalável

Conteúdos Relacionados:

4. Fique atento para evitar golpes que roubam dados

As transações online são alvos de cibercriminosos em busca de dados. Phishing e smishing são alguns exemplos de golpes bastante praticados para roubo de informações e posterior uso indevido delas.

A empresa pode ser vítima dessas ações ao abrir um falso link enviado por e-mail ou SMS solicitando dados como número de cartão de crédito, contas bancárias, documentos, senhas, códigos de confirmação.

Quando esses dados são enviados, caem nas mãos de pessoas mal intencionadas, que podem usá-los para realizar compras, cometer outros crimes, entre outras ações.

Portanto, é preciso instalar recursos de cyber security que bloqueiam essas tentativas, além de treinar a equipe para evitar cair nesses golpes.

5. Valide os dados bancários antes de efetuar as transações online

Para que as transações online sempre sejam feitas para os destinatários corretos, sem riscos de erros, é fundamental contar com uma solução de validação de contas bancárias.

Funciona assim: quando um novo cadastro de cliente, fornecedor, parceiro é realizado a solução de validação bancária faz uma varredura com o número de agência e conta, nome do titular e CPF/CNPJ. Se houver algum dado incorreto, a plataforma emite um alerta indicando onde pode estar o erro, e o cadastro nem é finalizado se a informação não estiver correta.

Através de um micro depósito a solução de validação de dados bancários também verifica se a conta é válida e se ela ainda se encontra disponível para receber pagamentos.

Isso permite que a correção dos dados seja feita antes de efetuar as transações online, evitando que elas sejam estornadas e que haja necessidade de pagar tarifas por operações que não foram realizadas com sucesso.

E é desta forma que a validação de dados bancários também traz a segurança de sua empresa não estar sendo vítima de algum golpe nos pagamentos, justamente por comparar os reais dados do titular da conta com os dados do cadastro, garantindo que o valor será sempre enviado para a pessoa certa na conta certa.

Para um financeiro mais eficiente, confira este material completo que preparamos sobre compliance:

Banner Manual de compliance para empresas:  Evite riscos e escale o setor financeiro

Banner solicite uma demonstração

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!