A Transfeera não realiza empréstimos financeiros. Em caso de dúvidas, fale com nossa ouvidoria.

Gestão Financeira

Entenda a importância do Compliance Digital para Fintechs

Entenda a importância do Compliance Digital para Fintechs

Garantir a segurança da informação é indispensável para qualquer negócio. Quando entramos no terreno das fintechs open banking, a necessidade é ainda maior. Afinal, estamos tratando de um setor altamente regulamentado e que está sujeito a várias formas de ciberataques, como roubo de identidade, phishing e outras.

Esse é o motivo pelo qual privacidade e proteção de dados são dois temas cruciais para esses modelos de negócios. É aí que entra o compliance digital (ou conformidade digital). Basicamente, estar digitalmente conforme reduz o risco de penalidades financeiras, danos à reputação e perda de confiança do cliente.

A seguir, entenda o que é compliance digital e os principais pontos sobre o assunto.

Saiba o que é Compliance Digital

Compliance digital refere-se aos regulamentos, padrões e diretrizes que as empresas devem seguir a fim de atender às normas, leis e padrões que incidem sobre o ambiente digital.

A palavra compliance vem da língua inglesa, do verbo “to comply”, que significa estar conforme. Sendo assim, estar em compliance (ou estar conforme) tem a ver com estar dentro da lei. Até pouco tempo atrás, o objetivo das medidas de conformidade era evitar práticas como lavagem de dinheiro e corrupção no ambiente corporativo.

Essa pegada “digital” vem para atender aos desafios do mundo online. Para as fintechs, engloba principalmente o de garantir que as transações e os dados sensíveis dos clientes sejam protegidos.

Além disso, ajuda empresas a não terem prejuízos financeiros causados por ataques cibernéticos. Só para você ter uma ideia, segundo esta matéria do Security Report, aqui no Brasil o custo de vazamento de dados é de R$ 6,2 milhões. Ainda de acordo com o texto:

“Dentro desse escopo, as verticais com os maiores prejuízos são Saúde (R$ 10,58 milhões), Serviços (R$ 8,07 milhões) e Tecnologia (R$ 7,86 milhões).”

Então, para você compreender bem o que é compliance digital, grave que ele se refere às medidas adotadas por empresas para garantir que suas propriedades digitais cumpram os requisitos legais e específicos do setor em que atuam.

Compliance Digital e LGPD

O compliance digital está diretamente ligado à Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais – LGPD. Juntamente com a Proteção da Propriedade Intelectual de Programa de Computador e o Marco Civil da Internet, a LGPD trata da segurança da informação na internet.

Ela muda a forma como as fintechs – e demais tipos de empresas – coletam, tratam, armazenam e utilizam os dados de usuários. Explicando um pouco mais, a LGPD traz como requisito de segurança medidas que ajudam a proteger as informações pessoais dos clientes.

A implementação de práticas e tecnologias para garantir a segurança dos dados está dentro do escopo do compliance digital. Isso inclui criptografia, medidas de autenticação robustas, controle de acesso e outras. Todas essas práticas são consideradas cruciais para o cumprimento da LGPD.

Não podemos deixar de mencionar que para a LGPD, obter o consentimento informado dos titulares dos dados é uma obrigação das empresas. As medidas de compliance digital levam isso em consideração e, por esse motivo, incluem a implementação de processos que garantem a transparência no uso de dados e facilitam a obtenção e o gerenciamento do consentimento dos usuários.

Portanto, não é exagero dizer que, quando tratamos de compliance digital, a LGPD deve servir como referência para a criação de códigos de conduta e normas na internet. Do mesmo modo, o compliance digital ajuda as fintechs a estarem conformes com a Lei Geral de Proteção de Dados.

Leia também:

Motivos para implementar o Compliance Digital na sua Fintech

Existem diversos motivos para as fintechs criarem um framework para compliance digital. Destacamos três principais, como você pode acompanhar a seguir:

Prevenção de riscos

A ameaça cibernética é um risco real. As fintechs gerenciam diariamente dados financeiros sensíveis de usuários, o que exige um constante programa de prevenção de riscos de ciberataques e vazamento de dados.

Adotar práticas de compliance digital é uma maneira de as fintechs dificultarem o trabalho de criminosos virtuais. É também um modo de reduzir a responsabilidade legal caso a empresa venha a sofrer de alguma violação.

Ainda dentro da gestão de riscos, o compliance digital atua também no disaster recovery (recuperação de desastres). Ele nada mais é do que um conjunto de procedimentos e estratégias que possibilitam a uma fintech que sofreu algum tipo de ataque cibernético, ou outro incidente no ambiente digital, retornar rapidamente às suas operações.

O plano de disaster recovery engloba medidas preventivas, preparativas e reativas.

Privacidade e proteção de dados

O cerne do compliance digital é a privacidade e a proteção de dados tanto de clientes quanto dos colaboradores de fintechs.

Para garantir isso, as medidas de conformidade visam garantir a proteção adequada desses dados contra ameaças cibernéticas, vazamentos de informações sensíveis e violações de sistemas.

Reputação da marca

Outro motivo para a implementação do compliance digital está no desenvolvimento de uma cultura de transparência e confiança. Ao cumprir com regulamentações, empresas mostram aos clientes e mercado de modo geral o compromisso sério que assumem com a segurança das informações e o respeito aos dados de terceiros.

Diretamente, essa cultura contribui para que as fintechs ganhem a confiança de clientes e, consequentemente, construam uma reputação sólida no mercado, mostrando que investem em esforços para tornar o contexto organizacional mais eficiente e seguro.

Do contrário, empresas que não têm essa preocupação, fazem com que clientes, parceiros e fornecedores percam a confiança no negócio.

Banner Manual de compliance para empresas:  Evite riscos e escale o setor financeiro

Conte com empresas que olhem para o Compliance Digital

A prevenção de riscos, privacidade e proteção de dados são fundamentais para as fintechs. Nesse contexto, um plano de compliance digital serve para garantir que as empresas sejam hábeis a adotar medidas preventivas contra danos e prejuízos que afetarão as operações e a saúde financeira.

A Transfeera entende a importância do compliance digital para as fintechs. Por isso, a nossa plataforma de pagamentos está totalmente comprometida com as disposições e exigências da LGPD. Além da conformidade com a Lei, estamos constantemente evoluindo para tornar as transações financeiras mais seguras.

Pensando nisso, adicionamos uma camada extra de segurança para identificar chaves Pix fraudulentas. Trata-se de uma inteligência antifraude disponível de forma gratuita para clientes que utilizam nossa Plataforma de Pagamentos e/ou ContaCerta (com validação de microdepósito).

Por meio do Painel Antifraude, nossos clientes obtêm uma visão clara e objetiva das transações realizadas, conseguindo identificar e prevenir atividades suspeitas com agilidade e eficácia.

No vídeo abaixo, explicamos como o painel funciona:

https://www.youtube.com/watch?v=fMglckCgRGM

 

Conheça mais sobre a Infraestrutura de Pagamentos da Transfeera! Clique aqui e solicite uma demonstração.

Quer receber esses conteúdos e as novidades em primeira mão diretamente em seu e-mail?

Cadastre-se e receba as atualizações do blog e sobre a Transfeera diretamente em seu e-mail.

Ao informar meus dados, concordo com a política de privacidade

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!