Processamento de Pagamentos
Arquivo Remessa: o que é e como automatizar o processo sem perder o controle

Arquivo Remessa: o que é e como automatizar o processo sem perder o controle

Fernando Nunes

Fernando Nunes

Sempre que uma empresa oferece a possibilidade aos seus clientes de realizarem pagamentos por boleto bancário, precisam lidar com o arquivo remessa. Seu envio é obrigatório e, por isso, precisa ser feito com atenção.

Para você entender a importância do assunto, imagine a seguinte situação: os clientes de uma empresa X fazem os pagamentos de um serviço recorrente via boletos. Uma vez que esses boletos são emitidos pela instituição bancária na qual a organização tem conta, a identificação dos pagadores é obrigatória.

Os arquivos de remessa entram justamente para identificar o cliente corretamente e emitir a guia de pagamento.

Apesar do processo ser antigo e atualmente existir uma forma mais fácil e eficaz de realizar transferências e pagamentos – o Pix -, neste artigo mostraremos o que fazer para garantir o controle dos seus arquivos de remessa.

O que é um arquivo de remessa?

Os arquivos de remessa servem para efetivar o registro de um boleto, a fim de que eles sejam registrados antes do pagamento. Cada registro segue os padrões definidos pela Federação Brasileira de Bancos (FEBRABAN).

Na prática, eles são enviados às instituições financeiras no momento da emissão dos boletos. Têm como função garantir a correspondência correta entre o financeiro de uma empresa, o pagante e o banco. Além de ser algo obrigatório, eles são fundamentais para o bom andamento do departamento financeiro.

Cada um desses arquivos contém as informações que possibilitam o registro ou baixas em impostos, cobranças, folha de pagamento e pagamentos de títulos. Essas informações são aquelas que estão no corpo do boleto, como: banco do beneficiário, cedente, titular da cobrança, valor a ser quitado e vencimento, instruções para a quitação do valor após o vencimento, código de barras etc.

Ressaltamos que se o arquivo de remessa não for enviado ao banco no momento de sua emissão, o mesmo pode ser rejeitado no pagamento.

Como ele é criado?

Para você entender bem, observe a seguir como ocorre o fluxo de remessa:

  • O setor financeiro gera o arquivo de remessa no padrão CNAB (com a extensão .REM);
  • O arquivo é enviado pelo internet banking ao banco onde o boleto será liquidado;
  • Em um dia útil após a compensação efetivada, a instituição bancária envia o arquivo de retorno (com a extensão .RET);
  • No internet banking, o financeiro baixa o arquivo de retorno e verifica o status da operação.

Todo esse processo pode ocorrer manual ou automaticamente. No primeiro caso, além da perda de tempo, os cuidados com a segurança precisam ser redobrados. Isso porque não apenas podem ocorrer erros no registro do boleto, como também há o risco de vazamento de informações. Afinal, o responsável lida com informações sigilosas.

Por isso, a opção pelo processo manual pode até ser a ideal para empresas que possuem uma base de clientes ainda pequena. Todavia, quanto maior é o número de clientes, mais impraticável fica realizar a emissão mensal de boletos.

Aliás, esse é o motivo pelo qual muitas organizações decidem pela emissão automatizada dos arquivos de remessa. Nesse caso, tudo ocorre de maneira rápida e otimizada, já que o processo é realizado por um software de gestão de pagamentos.

Como enviar os arquivos de remessa e retorno?

Como explicamos, o layout da emissão do arquivo de remessa segue um dos formatos/modelos estabelecidos pela Febraban. São eles: CNAB 400 ou CNAB 240.

Cada tipo de layout (CNAB 400 ou CNAB 240) obedece a um padrão de texto, com quantidades de informações exatas. Em comum, ambos os modelos garantem o diálogo entre o sistema financeiro do cliente e o sistema do banco da pessoa jurídica.

Sobre as diferenças, observe a seguir:

  • CNAB 400: para cada registro podem ser armazenadas até 400 posições. Trabalha com carteira de cobrança simples e garantida, não sendo permitido o serviço de banco correspondente, apenas a utilização de postagem de títulos pelos Correios e Serviços de Protesto.
  • CNAB 240: permite um número maior de informações dentro do mesmo arquivo, configuradas em 4 segmentos de 240 posições para cada um dos títulos. O layout permite carteiras de cobrança simples e garantida, além da utilização do serviço de banco correspondente e de postagem de títulos pelo Correios.

Inclui, também, serviços de Protesto e de Custódia de Cheques e pode ser utilizado para o serviço de agendamento para pagamento de título e pagamento de contas.

A maioria dos bancos trabalham com os dois modelos, isto é, com o layout CNAB 240 e CNAB 400. No entanto, alguns bancos digitais não possuem integração CNAB porque a emissão de boletos conta com um sistema diferenciado.

Ainda, é importante entender que tanto o arquivo de remessa quanto o arquivo de retorno seguem o padrão CNAB.

Automatize o envio do arquivo remessa

Conforme comentamos, o envio do arquivo de remessa é uma operação bastante delicada e pode ser propensa a erros se feita manualmente. Além de, claro, ocupar um tempo do setor financeiro, que ao invés disso poderia focar em atividades de planejamento e decisão.

A plataforma de pagamentos da Transfeera facilita as rotinas do contas a pagar por meio da automatização dos processos financeiros. O sistema faz integração direta e segura entre instituições bancárias e o ERP da sua empresa.

Graças à nossa API de pagamentos, além de não precisar fazer manualmente o envio de arquivos de remessa para seu banco, você não precisará mais se preocupar em pegar o arquivo de retorno para dar baixa nos pagamentos em seu ERP. Ou seja, o financeiro não perderá tempo acessando o Internet Banking de cada banco.

Lembramos que cada vez mais os arquivos de remessa têm sido substituídos pelo Pix. Além de acabar com os processos morosos, a modalidade de transferências e pagamentos instantâneos traz vantagens como instantaneidade, mais transparência, agilidade, segurança e taxas mais baixas.

Com a solução de pagamentos da Transfeera você automatiza toda a sua rotina de pagamentos, sejam eles boletos, Pix, ou transferências para vários favorecidos diferentes de uma só vez. Então, pare de perder tempo e garanta segurança aos processos financeiros.

Conheça a plataforma de pagamentos da Transfeera.

Banner solicite uma demonstração

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!