Gestão Financeira
Planejamento financeiro empresarial: como começar 2022 organizado?

Planejamento financeiro empresarial: como começar 2022 organizado?

Novos desafios e crises inesperadas fazem parte do dia a dia de qualquer negócio. Para garantir que todos dentro da organização mantenham-se focados e no caminho certo, é importante contar com um bom planejamento financeiro empresarial. Em poucas palavras, ele ajudará você, do time de finanças, a se comunicar claramente com outras equipes e com investidores, e a construir um negócio transparente.

Com isso em mente, neste artigo mostraremos a você como organizar as finanças para deixar sua empresa preparada para 2022.

Qual a importância do planejamento financeiro empresarial?

Um planejamento financeiro empresarial detalhado e realista é uma das ferramentas cruciais para orientar o seu negócio. É por meio dele que o gestor financeiro consegue entender a situação atual da organização e o que ela precisa fazer para melhorar ou potencializar seus resultados econômicos.

Ele funciona como um roteiro e um lembrete de quais são os objetivos financeiros do negócio como um todo. Aliás, uma das uma das principais funções do planejamento financeiro empresarial é ajudar organizações a atingirem esses objetivos

Ao analisá-lo, é possível obter informações importantes sobre a saúde financeira geral e a eficiência do negócio. Além disso, ele aprimora as tomadas de decisões para atingir as metas estabelecidas

Quais são as vantagens de começar o ano com um planejamento financeiro?

No tópico acima você já pode ter uma ideia de qual a importância do planejamento financeiro empresarial. Mas para deixar bem claro a você o quanto essa ferramenta é importante para iniciar o ano com o pé direito, separamos algumas de suas principais vantagens.

Orçamento colaborativo

O orçamento colaborativo descentraliza o planejamento orçamentário. Na prática, significa dizer que gestores de cada setor de uma empresa colaboram na definição do budget.

O planejamento financeiro possibilita uma melhor avaliação desses micro-orçamentos e das metas orçamentárias por área. De uma certa forma, isso aumenta a responsabilidade dos gestores, pois eles passam a entender que suas ações impactam no resultado do negócio.

Estruturação de pessoal

A partir do momento em que as metas financeiras foram estabelecidas, tem-se uma ideia muito mais clara do que a empresa precisa fazer para atingi-las. Dentre as diversas ações pode estar a estruturação do quadro de colaboradores.

Ao fazer o planejamento no início de ano, cada área consegue melhor se preparar para realizar contratações ou demissões, ou até mesmo para investir em qualificação do pessoal.

Previsibilidade

Quanto mais previsíveis forem os caminhos que uma organização deseja tomar, maiores serão suas chances de lidar com as incertezas e potencializar seus resultados nos bons momentos.

Como veremos, para elaborar o planejamento financeiro é preciso pensar em diversos cenários. Isso dá aos gestores a oportunidade de elaborarem planos de ação mais assertivos.

Gestão eficaz

Como o planejamento financeiro empresarial funciona como um roteiro, ou um mapa através do qual o time financeiro pode se orientar, ele possibilita que investimentos mais bem direcionados sejam feitos.

Adicionalmente, ele é um documento no qual a equipe financeira pode se basear para analisar o momento atual e planejar as ações futuras.

Redução de gastos

A gestão eficaz tem a ver também com a redução de gastos, outra vantagem do planejamento financeiro empresarial no início de ano. Isso porque por meio dele é possível identificar, de maneira muito mais precisa, os gastos desnecessários e os desperdícios que exercem influência nos custos empresariais, como por exemplo, os gastos com taxas bancárias desnecessárias.

Guia: redução de custos nas empresas

Passo a passo de como fazer um planejamento financeiro

Não há uma receita única para a elaboração do planejamento financeiro empresarial. Contudo, existem algumas etapas básicas que devem ser levadas em consideração. Confira:

Faça uma análise profunda da situação da empresa

Antes de definir para onde a empresa quer ir (ou seja, objetivos de curto, médio e longo prazo), o foco deve ser em saber onde ela está. Em outras palavras, o ponto de partida para a criação do planejamento é entender a situação atual das finanças.

Esse diagnóstico ajudará o gestor a compreender como o dinheiro tem sido gerenciado até então e o que precisa ser feito para garantir à empresa uma melhor saúde financeira. Para essa análise, busque saber como estão as contas a pagar e a receber, os prazos a vencer e levante também o montante disponível em caixa.

Estude a realidade atual do seu mercado de atuação

Após entender a realidade financeira da empresa, conduza uma avaliação do mercado de atuação. Para isso, é preciso verificar o que os concorrentes estão fazendo, quais são os pontos fortes e fracos do seu negócio perante outros players, o que deve ser considerado como risco e ameaça para sua empresa, entre outros fatores.

Ter esse conhecimento ajudará a definir melhor os investimentos para o ano, a direcionar as ações e a se preparar para realizar as mudanças necessárias.

Documente todas as informações

Para não perder nada de vista, tudo aquilo que foi mapeado precisa ser documentado. Isso ajudará sempre que surgirem dúvidas com relação ao caminho sendo tomado. Também, será importante caso seja necessário revisar algumas metas ou ações.

Trabalhe com possibilidades distintas

A estruturação de um planejamento financeiro passa pela previsão de cenários. Como comentamos, é isso que dará mais previsibilidade para os próximos meses. O ideal é projetar três cenários, pelo menos. São eles:

  • Cenário otimista: aquele em que sua empresa possui mais demanda do que tem atualmente. Caso isso aconteça, todos estão preparados para atender aos clientes? A organização possui os recursos financeiros necessários para investir em profissionais, tecnologia e outros?
  • Cenário realista: nesse caso, a previsão é de que a empresa permaneça no mesmo ritmo.
  • Cenário pessimista: aqui levamos em consideração os imprevistos que podem prejudicar a saúde financeira. Para essa previsão, leve em consideração, no planejamento financeiro empresarial, os riscos aos quais sua empresa está exposta.

Calcule o capital de giro necessário para a sua empresa

Essa é outra etapa importante na elaboração do planejamento. Isso porque o capital de giro é essencial para sustentar as operações do negócio. Portanto, certifique-se de definir a reserva financeira necessária para que a empresa funcione enquanto os recebíveis não entrarem.

Estabeleça metas financeiras

Nesta etapa, considerando cada um dos cenários, defina as metas financeiras para o negócio e qual é o prazo para atingi-las. Tenha em mente que na hora de defini-las, elas devem ser desafiadoras, mas realistas e alcançáveis, pois assim os colaboradores se sentirão motivados.

Após a definição das metas financeiras, estabeleça um plano de ação de como alcançá-las. Nesse momento, pode ser necessário realizar investimentos ou cortes de gastos a serem feitos.

Faça a precificação correta do produto ou serviço

Os preços praticados pelos seus produtos ou serviços precisam cobrir os custos e ainda gerar lucro. Por essa razão, o desempenho econômico-financeiro de sua organização depende de uma correta precificação. Portanto, verifique se sua política de preços não precisa ser atualizada.

É melhor focar no caixa ou no lucro?

Essa é uma pergunta muito comum quando tratamos de planejar as metas financeiras e as ações para atingi-las. Na verdade, tudo depende do tamanho e do momento da empresa.

Porém, de qualquer forma, fazer um planejamento financeiro no início do ano oferece maior previsibilidade para as finanças, o que ajuda na redução de custos, pois na hora de elaborar o documento os gestores podem avaliar ações a serem tomadas nessa frente.

Por exemplo, a Vakinha, maior plataforma de vaquinha na internet no país, utilizava uma solução bancária com cobrança de altas taxas para transferências. Além disso, os erros nas transferências representavam um custo que precisava ser diminuído.

Foi assim que eles firmaram parceria com a Transfeera, adotando a solução de pagamentos para fazer a transferência automatizada de recursos das contas Vakinha para as contas bancárias dos usuários.

Com a Transfeera, além da redução de 50% no erro das transferências bancárias, a empresa obteve redução de custos e aumento na agilidade.

Esse tipo de decisão – de reduzir gastos com transferências bancárias – pode ser tomado no planejamento financeiro empresarial, como meta para 2022.

Se você quiser conhecer melhor o que a ação de investir na Transfeera representou para a Vakinha, leia aqui o case completo.

Banner Vakinha

Quer receber esses conteúdos e as novidades em primeira mão diretamente em seu e-mail?

Cadastre-se e receba as atualizações do blog e sobre a Transfeera diretamente em seu e-mail.

Ao informar meus dados, concordo com a política de privacidade

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!