Gestão Financeira
Os erros mais comuns na gestão financeira empresarial e como resolvê-los

Os erros mais comuns na gestão financeira empresarial e como resolvê-los

Rodrigo Kratzer

Rodrigo Kratzer

Realizar uma gestão financeira empresarial lucrativa no Brasil vem sendo um desafio cada vez mais difícil para os gestores. Segundo dados divulgados pelo IBGE, 716.000 empresas fecharam as portas no período da pandemia.

Esse número, 17% maior do que em 2017, mostra os percalços enfrentados por empresários nos últimos anos. E não apenas isso. Ele também evidencia as consequências que uma má administração pode causar em uma companhia.

Dessa forma, é fundamental que os donos de empresas busquem sempre desenvolver a área da gestão financeira empresarial. Um progresso bem planejado e efetivo desse departamento pode evitar diversos prejuízos no cotidiano do negócio, inclusive a falência.

Ao decorrer do texto, vamos te mostrar os principais erros na gestão financeira empresarial e como resolvê-los.

Para que serve a gestão financeira empresarial?

Você sabe o que é gestão financeira empresarial e qual o motivo dela ser tão importante para o gestor? Em primeiro lugar, gestão financeira é um agrupamento de processos e métodos que dão base para uma empresa arquitetar suas finanças. Tudo isso visando uma constante melhora nos resultados da companhia.

Por meio dela, profissionais podem analisar melhor as situações e realizar tomadas de decisões mais assertivas, baseadas em planos estratégicos. Assim, a gestão financeira empresarial equilibra gastos e ganhos da empresa, oferecendo meios para que ela opere de maneira lucrativa.

No entanto, desenvolver uma gestão financeira empresarial eficiente é uma tarefa que exige bastante planejamento e empenho dos colaboradores. Por isso, é essencial que o gestor evite alguns erros que podem jogar toda a estratégia por água abaixo.

Banner Inovação em processos financeiros: em que fase sua empresa está?

Erros mais comuns na gestão financeira empresarial

1. Falta de precisão no fluxo de caixa

O fluxo de caixa é um documento que acompanha as entradas e saídas de dinheiro no caixa da empresa. Logo, manter essa ferramenta sempre atualizada, correta e sob controle é indispensável para evitar eventuais falhas na gestão financeira.

Por meio do fluxo de caixa, o executivo pode acompanhar:

  • O montante que será destinado a despesas;
  • Recebimento e pagamento de fundos;
  • O valor total de recursos disponíveis;
  • A receita originada das vendas;
  • Histórico de pagamento dos consumidores.

É importante frisar que o fluxo de caixa não é apenas um ótimo método para analisar números passados. Ele também é totalmente funcional para auxiliar o desenvolvimento de métricas que podem ser utilizadas em estratégias futuras. Sendo assim, para extrair todos os benefícios que essa ferramenta pode aparecer, o gestor deve manter a precisão do fluxo de caixa.

2. Não fazer projeções e planejamentos

O planejamento é a alma do negócio. Afinal, é com ele que o empresário poderá traçar metas e objetivos futuros. Sem um planejamento eficiente e arquitetado de forma estratégica, a empresa pode sofrer com diversos problemas e prejuízos. Perda de controle de gastos, falta de conhecimento sobre o real valor da marca e até falência pode acontecer na ausência de planos.

Portanto, é fundamental que o gestor utilize métricas e informações sobre os negócios para desenvolver os próximos passos com segurança. Assim, por meio de projeções e planejamentos embasados em dados, a empresa conseguirá caminhar em uma base sólida, sem sustos.

3. Não priorizar despesas fixas

Você sabe o que são as despesas fixas? Basicamente, elas representam o custo mínimo que toda empresa depende para funcionar. São os serviços essenciais para que as atividades transcorram sem problemas, como aluguel, impostos, luz, água, internet, etc.

Muitos empresários costumam deixar as despesas fixas em segundo plano, o que é um erro. Lembre-se: para que o negócio continue a operar normalmente, essas despesas precisam ser pagas corretamente. Sendo assim, você deve prever como conseguirá os recursos necessários para arcar com esses valores. Com a ausência do capital de giro, o gestor encontra dificuldades para pagar recursos básicos, levando prejuízos para a companhia.

4. Falta de conhecimento sobre rendimentos

Para que uma gestão financeira empresarial ofereça bons resultados, você deve saber exatamente quais os rendimentos mensais da empresa. Para isso, informações sobre quanto você lucrou e quanto perdeu em determinado período devem ser levadas em consideração. Além disso, é importante também ter conhecimento da origem tanto da entrada quanto da saída do dinheiro.

Conhecendo os rendimentos operacionais, você terá mais facilidade em analisar os resultados de diferentes meses e cortar gastos desnecessários. Esses números podem ser obtidos por meio de plataformas de pagamento especializadas em gerenciar o setor financeiro de sua empresa.

5. Não levar em conta o capital de giro

A negligência do capital de giro de uma empresa é outro fator que pode prejudicar uma gestão financeira empresarial. Afinal, um negócio necessita da realização de investimentos para se desenvolver da melhor forma e manter sua saúde financeira estável.

Considerando esse fato, o executivo deve controlar com atenção o setor financeiro. Assim, ele poderá garantir que o capital de giro supra todas as demandas essenciais para o funcionamento do negócio. Como consequência desse acompanhamento, investimentos estratégicos visando o crescimento organizacional poderão ser feitos com mais tranquilidade e segurança.

6. Falta de inovação nas operações

Especialmente após a Revolução Digital, a tecnologia passou a ser uma grande aliada nas dinâmicas existentes entre homem e trabalho. Como não poderia ser diferente, o universo empresarial desfruta de inúmeros benefícios que as inovações tecnológicas trouxeram para a sociedade.

No entanto, muitos gestores insistem em continuar adotando os métodos tradicionais durante as operações da empresa. E essa resistência em inovar e se atualizar pode trazer significativas desvantagens para o negócio. Considere que muito provavelmente seus concorrentes estão automatizando funções e melhorando exponencialmente os resultados. Ficar parado no tempo apenas te fará perder espaço e relevância no mercado em detrimento das outras companhias.

Como resolver esses erros?

Agora que identificamos os principais erros que atrapalham o desenvolvimento de uma gestão financeira empresarial, o questionamento que resta é: como sanar essas problemáticas? Confira abaixo algumas formas eficientes para resolver esses erros!

Valorizar planejamentos e estipular objetivos

Um planejamento bem feito é um fator fundamental para que as ações internas de sua empresa sejam organizadas. O planejamento financeiro tem a função de definir e revisar métricas. Com isso, os próximos passos do negócio são arquitetados levando em consideração as informações levantadas. Na hora do planejamento, o time financeiro deve analisar o cenário interno e externo do mercado. A partir dessa análise, objetivos e metas podem ser estipuladas.

Implementar novas tecnologias

O setor financeiro trabalha diretamente com números. Portanto, é fato que inúmeros dados e métricas deverão ser analisados para uma gestão financeira empresarial funcionar. No entanto, a pergunta que fica é: você realmente tem condições de lidar manualmente com essa quantidade massiva de numerações?

Mesmo se a resposta para o questionamento for “sim”, você certamente irá gastar um tempo absurdo para realizar a tarefa. Tempo esse que poderia ser direcionado em funções mais estratégicas que dependem da expertise humana. Contar com o auxílio de novas tecnologias para a automatização desses trabalhos trará mais produtividade e otimização para o seu serviço.

Automatizar pagamentos

Quanto tempo você gasta em rotinas operacionais bancárias toda semana? Além disso, qual valor você paga em taxas? Adotar uma plataforma de pagamentos focada em gestão financeira empresarial pode ser uma excelente alternativa para fugir desses problemas.

A Transfeera conta com um sistema feito justamente para facilitar a vida financeira de sua empresa. Dentre os principais pontos positivos do nosso software, podemos destacar:

  • Mais produtividade: A produtividade é uma consequência direta da melhora na agilidade. Quanto mais um serviço é dinâmico e ágil, maiores são os resultados.
  • Redução de custos: sabe os valores cobrados em encargos bancários? Não se preocupe mais! O sistema Transfeera garante que os usuários economizem o que seria gasto com taxas de transferência, pagamentos de multas, juros e cobranças de atraso.
  • Integração com outros sistemas: a ferramenta da Transfeera pode ser facilmente integrada ao sistema já utilizado pela empresa por meio de API. 
  • Segurança: a segurança aqui é uma prioridade! No nosso sistema, todas as transferências são enviadas para a conta certa. Sem falhas, sem erros. E os números não mentem. O Vakinha, site de doações mais renomado do Brasil, conseguiu reduzir em 50% os erros de transferências bancárias com o auxílio da ferramenta, por exemplo.
  • Pagamentos centralizados: a plataforma centraliza todos os pagamentos e transferências em apenas um lugar. Assim, as preocupações em manter contas em vários bancos para se esquivar das taxas poderão ficar no passado.
  • Relatórios e indicadores na palma das mãos: para conseguir realizar diagnósticos que contribuem na tomada de decisões, é fundamental que o gestor tenha dados norteadores em mãos.  Por isso, a Transfeera fornece informações e relatórios na própria plataforma.

Quer saber mais sobre o sistema da Transfeera? Conheça a história de quem obteve sucesso com a nossa ferramenta. Acesse esse case da Pay4Fun e confira!

Banner Como funciona cada forma de pagamento

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!