Validação de Dados Bancários
Golpe em Marketplace: garanta a segurança online de vendedores e clientes!

Golpe em Marketplace: garanta a segurança online de vendedores e clientes!

Rafael Negherbon

Rafael Negherbon

Você sabia que conhecer os principais golpes em marketplace pode ajudar a manter a saúde financeira de seu negócio estável?

Os marketplaces são plataformas que atuam como intermediário entre o comprador e o vendedor, possibilitando que clientes comprem produtos de diversos lojistas em um mesmo lugar. Em outras palavras, esses ambientes são como shoppings virtuais que atraem varejistas devido aos diversos benefícios oferecidos, como antecipação de pagamento e grande visibilidade.

No entanto, muitos fraudadores encontram nesse espaço de compras um ambiente propício para a aplicação de golpes.

Nesse artigo, explicaremos o funcionamento dos principais golpes em marketplace e como se proteger.

Golpe em marketplace: conheça os principais e como se proteger

Pesquisas feitas pela Clearsale indicaram que 3,5 milhões de tentativas de fraudes foram realizadas no Brasil em 2020 em processo de compra pela internet.

Esse cenário mostra que temos um grande problema com golpes em plataformas digitais no Brasil e muitas empresas sofrem sérios danos financeiros através dessas fraudes. No entanto, tomando algumas precauções, é possível fugir de golpes virtuais e em market place. Confira abaixo:

Golpe dos Testadores de cartão

Especialmente nas últimas décadas, vazamentos de dados são muito comuns em nossa realidade. Nesse cenário, o fraudador utiliza informações vazadas com o intuito de roubar o acesso de email e senhas de cartão da vítima.

Os criminosos utilizam emails e CPFs para a criação de perfis falsos, clonando uma identidade digital. O principal objetivo, porém, é testar o funcionamento dos cartões vazados na plataforma de pagamentos.

Para que isso ocorra, eles iniciam comprando produtos de valores menores para verificar o limite do cartão sem levantar suspeitas. Caso essas compras sejam aprovadas, os fraudadores exponencialmente aumentam o valor das aquisições. 

Para proteger seu negócio desse golpe em marketplace, você deverá realizar uma análise mais detalhada no perfil de seus compradores. Caso perceba que uma pessoa faz muitos pedidos em um espaço curto de tempo ou tenta pagar o mesmo produto com mais de cinco cartões diferentes, desconfie.

Golpe do Perfil de comprador com cartão clonado

Nesses golpes, o fraudador tem como objetivo efetuar a compra com um cartão clonado e ainda receber o produto. Para fazer isso sem levantar suspeitas, o golpista tenta roubar o acesso de uma conta com boa avaliação na plataforma.

Caso a estratégia funcione, ele aproveitará informações vazadas de um cartão de crédito ativo para efetuar compras. Normalmente, os fraudadores optam ou por produtos que possam ser convertidos em dinheiro (como joias) ou por aqueles que podem ser revendidos com facilidade (aparelhos eletrônicos, especialmente smartphones).

Golpe da Triangulação

No golpe da triangulação, o golpista assume o papel de vendedor e comprador em duas plataformas diferentes.

Por exemplo, o fraudador, através de um perfil de comprador, encontra um anúncio específico no marketplace 1. Ele utilizará os mesmos dados desse produto (que é real) para criar um anúncio falso no marketplace 2.

Após essa etapa, um comprador fecha a venda na plataforma 2, cadastrando seus dados de entrega no anúncio falso. Dessa forma, o fraudador terá em mãos estes dados, cadastrando-os no anúncio original na plataforma 1 e realizando a compra com um cartão de crédito clonado.

A proteção contra esse golpe é preventiva. Ou seja, o gestor deverá verificar com cautela as contas de clientes e lojas abertas na plataforma.

Golpe das lojas de fachada

Nessa fraude, o criminoso é simultaneamente comprador e vendedor do anúncio. Sendo assim, ele cria uma loja completa no marketplace utilizando dados como nome e endereço para não levantar suspeitas. Em pouco tempo de loja, diversos produtos são comprados e a movimentação de dinheiro do lojista é altíssima. Como isso ocorre?

O golpista, contando com dados de cartões vazados em mãos, utiliza a plataforma de compras como meio para lavar dinheiro. Pelo fato da maioria dos marketplaces anteciparem o pagamento dos produtos, os golpistas deletam a loja assim que o golpe é concluído.

Para proteger o ambiente de compras dessas fraudes, a validação e análise dos lojistas são fatores fundamentais.

Golpe do SMS

No golpe do SMS, o golpista manda para o cliente mensagens de texto se passando pela plataforma de vendas. O discurso utilizado é o de que uma mensagem com código de regularização do anúncio deverá ser digitada no WhatsApp.

Na realidade, esse código é o PIN de verificação de conta do WhatsApp. Quando esse número está nas mãos do golpista, o aplicativo poderá ser clonado com mais facilidade. Assim, o criminoso poderá enviar mensagens pedindo dinheiro para a lista de contatos da vítima.

Para se prevenir desse golpe, a ativação da verificação em duas etapas no WhatsApp é muito importante e dificulta clonagens. Além disso, códigos de segurança enviados por SMS nunca devem ser compartilhados.

Sequestro de estoque

Nesse golpe em marketplace, uma loja realiza compras em lojas concorrentes através de boleto bancário com o vencimento em três dias úteis. No entanto, os produtos não são pagos.

Quando isso acontece, a vítima deixa os produtos encomendados reservados para aquela compra inexistente, tirando-os de circulação e perdendo as possibilidades reais de venda. Assim, o consumidor irá optar por realizar a transação no e-commerce responsável pelo golpe. Essa fraude é muito comum em datas específicas que movimentam o marketplace como a Black Friday, natal e dia das mães.

Para fugir desse golpe, as lojas podem utilizar um método recente, porém muito eficaz: o Pix. Cada vez mais e-commerces aceitam essa nova forma de pagamento, realizada de forma instantânea, sem oportunidade de deixar o produto parado no estoque e sendo uma alternativa para consumidores que desejam comprar à vista.

Para garantir a segurança de todos os envolvidos em uma transação pelo Pix, a Transfeera desenvolveu a ContaTransfeera para receber. Através dessa solução, o usuário terá muito mais facilidade e segurança para realizar suas transações, concentrando seus pagamentos em um único lugar.

Com o auxílio da ferramenta, um gestor pode ter um maior controle de seus recebimentos, evitando assim, por exemplo, golpes feitos através de dados falsos realizados por um seller.

Quais são as responsabilidades de um marketplace?

Todas as partes envolvidas no funcionamento de um marketplace têm suas responsabilidades no negócio. Sendo assim, tanto o administrador da plataforma quanto os vendedores devem garantir a segurança para a compra do cliente.

O vendedor, por sua vez, deve se certificar de entregar exatamente o produto que vendeu, sem defeitos e dentro do prazo estipulado para entrega, emitindo a nota fiscal. Além disso, ele também deverá comercializar os produtos com dados cadastrais legítimos e próprios.

No caso dos administradores do marketplace, antes de qualquer coisa, eles deverão estar habilitados para gerir uma plataforma através de um CNPJ com CNAE 74.90-1-04 (de intermediação de negócios). Feito isso, eles também deverão disponibilizar termos de uso e políticas de privacidade que se encaixem no negócio.

Por fim, os administradores de marketplace deverão acompanhar todo o processo operacional da plataforma, corrigindo falhas e sempre visando melhorias. Soluções tecnológicas que visam garantir a segurança também podem ser muito positivas para evitar golpes.

O que garante a compra segura em um marketplace?

Para evitar golpes e garantir compras seguras aos clientes, um marketplace deve apresentar as seguintes características:

  • Hospedagem da plataforma localizada em um servidor de nuvem AWS (Amazon Web Services), considerado uma referência em segurança no mercado;
  • Possuir um Certificado Digital (ou HTTPS). Esse documento garante a legitimidade do site, além de permitir que informações pessoais e de pagamento passem pelo processo de criptografia de ponta a ponta, impossibilitando o roubo dessas informações;
  • Computação da reputação de compradores e vendedores;
  • Utilização de soluções que apresentam mecanismos antifraude, como a Transfeera ContaCerta.

Por que investir em gestão de riscos e antifraude?

Oferecer mais segurança quanto aos dados dos clientes

Os compradores de uma loja são elementos fundamentais para o sucesso da mesma. Com o aumento de ataques virtuais que roubam informações dos consumidores, a credibilidade do e-commerce é diretamente afetada. Sendo assim, adotar uma gestão de riscos e antifraude representa o investimento na segurança do cliente e, consequentemente, na credibilidade da loja.

Impactar os indicadores de performance da empresa

Fraudes nos negócios podem impactar profundamente as finanças de um negócio. Como consequência direta desse fator, o fluxo de caixa torna-se instável e causa prejuízos nos indicadores de performance.

Portanto, uma ferramenta de gestão de riscos mostra-se uma excelente alternativa para a resolução desses problemas.

Gerenciar melhor as operações e otimizá-las

O investimento em uma ferramenta de gestão de riscos permite que o gestor otimize as atividades do e-commerce. Quando existem recursos para controlar perigos e solucionar ameaças antes que se tornem problemas, o administrador conseguirá trabalhar com mais tranquilidade e eficiência.

Defesa contra inadimplência dos sellers

Uma ferramenta de gestão de riscos também pode prevenir problemas com inadimplência do seller. Essa situação ocorre quando um vendedor que não conta com capital de giro necessário para arcar com as demandas do negócio solicita uma antecipação do pagamento. Então, ele utiliza esse valor antecipado para comprar os produtos que vendeu.

Entretanto, não existe garantia que o seller realmente enviará o produto para o comprador. Nesse cenário, o cliente dará entrada em um processo de chargeback. Todo esse processo pode trazer grandes prejuízos para o marketplace.

Uma gestão de riscos poderá trazer gatilhos de venda nos primeiros passos do seller, marcando um limite específico para as vendas. Isso servirá como um teste do comportamento do lojista em situações de inadimplência.

Como vimos, uma ferramenta de gestão de riscos pode ser a chave que seu negócio precisa para fugir dos golpes em marketplace. Pensando nisso, a Transfeera desenvolveu a solução ContaCerta,  que tem a resolução de fraudes como uma de suas funcionalidades.

Com o auxílio dessa ferramenta, o gestor poderá ter a certeza de que os dados bancários ou chaves Pix do Seller estão corretos, evitando fraudes.

Além disso, a ContaCerta possui 4 camadas de segurança, sendo elas:

1. Validação básica do Pix

Na primeira etapa, ocorre uma validação dos dados gerais do Pix do recebedor, como e-mail, CPF, telefone, CNPJ ou chave aleatória.

2.Validação por Micro Depósito Pix

Após a primeira fase, temos a realização de um pagamento para validar a transação. Esse procedimento garante que o titular da conta é realmente a pessoa que deverá receber o valor depositado.

3.Documento do titular

Nesse processo, é possível informar o documento do titular da conta para verificar se o mesmo é realmente o dono da chave Pix.

4.Mensagem junto ao micro depósito

Por fim, juntamente com a validação por micro depósito, é possível inserir uma mensagem personalizada que constará no extrato do recebedor acompanhada com um código ou identificação do depósito.

Ao utilizar o ContaCerta sua empresa terá mais assertividade nos pagamentos e menos chances de cair em fraudes. Quer conhecer mais sobre essa solução? Acesse o link para mais detalhes!

Banner Guia completo do Pix para empresas: tire suas dúvidas e comece a usar!

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!