Tecnologia
Tudo sobre Open Banking: qual o calendário de 2022?

Tudo sobre Open Banking: qual o calendário de 2022?

Para saber tudo sobre o Open Banking, ou Sistema Financeiro Aberto, vamos começar por uma de suas vantagens: possibilitar às pessoas compartilharem seus dados com as instituições financeiras que desejarem, de forma rápida e sem burocracia.

Mas, o que pessoas físicas e jurídicas ganham com isso? Dentre muitos benefícios, está a liberdade para escolher e começar a usar facilmente os serviços e produtos bancários de suas escolhas.

Está certo que as fintechs já beneficiavam empresas muito antes da regulamentação do Open Banking, pois contavam com dados provenientes de parcerias contratuais com instituições financeiras de grande porte. Porém, vale ressaltar que o Sistema Financeiro Aberto abre ainda mais oportunidades para as organizações.

Isso porque, graças às APIs Open Banking, organizações de todos os portes e segmentos têm em mãos uma diversidade de serviços e produtos financeiros.

Diante de tudo isso, como seu negócio pode se beneficiar ainda mais do Open Banking? Para encontrar a resposta, é fundamental conhecermos quais são as próximas fases planejadas.

A seguir, contamos tudo para você. Boa leitura!

Tudo sobre Open Banking: em que momento da implementação estamos?

A implementação do Open Banking no Brasil iniciou no dia primeiro de fevereiro de 2021. Nessa primeira fase, o compartilhamento de dados entre as instituições financeiras participantes e os grandes bancos foram padronizados.

Também na etapa inicial os bancos participantes acessaram as informações via API e o público teve conhecimento dos serviços e produtos de cada instituição, os canais de atendimento, entre outros. Contudo, nenhum dado de cliente foi compartilhado.

Na segunda fase, iniciada em 13 de agosto de 2021, as informações dos clientes que, conforme a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, deram sua autorização, começaram a ser compartilhadas. Dentre os dados compartilhados estão os bancários, além de documentos como CPF, RG etc.

A partir de então os bancos e instituições financeiras passaram a enviar ofertas personalizadas de produtos e serviços.

Em 29 de outubro do mesmo ano aconteceu a terceira fase, na qual ocorreu a integração dos meios de pagamentos, tendo o Pix como primeira ferramenta utilizada. Na prática, isso significou que empresas de delivery e marketplaces puderam oferecer aos seus clientes a possibilidade de pagamento instantâneo. Nessa etapa os usuários começaram também a receber ofertas de crédito.

Já a quarta e última fase, iniciada em 15 de dezembro, marcou a transição para o Open Finance, aumentando a diversidade de todo o Sistema Financeiro Aberto.

Open Finance

Para você entender, com o Open Finance os bancos, bem como outras organizações que obedeçam a regulações pré-determinadas, podem também oferecer produtos financeiros.

O Open Finance traz diversas vantagens para empresas. Caso você queira saber seus principais pontos positivos, como ele afeta o bolso das pessoas e do mercado, quais os benefícios de implementá-lo, como são as questões de segurança, como ficam os bancos e fintechs, e muitas outras informações, reserve um tempo e escute o podcast que gravamos com Carlos Augusto de Oliveira, CEO da CertDox e Fintech Board Member da VC BossaNova.

Qual o calendário de implementação do Open Banking em 2022?

Como para saber tudo sobre o Open Banking temos que conhecer o que o Banco Central (Bacen) reserva para o futuro, é importante ficarmos de olho no calendário de 2022. De acordo com a programação, são esperadas novas etapas da fase 3 e da fase 4:

Fase 3

Como comentamos, a fase 3, iniciada em 29 de outubro de 2021, integrou o Pix ao Open Banking. A previsão é que outros meios de pagamentos passem também a fazer parte do Sistema Financeiro aberto do Brasil:

Fase 3 Open Banking 2022

Fase 4

A quarta etapa, marcada pela transição para o Open Finance prevê uma novidade para 2022:

Como a implementação do Open Banking junto com o Pix está alterando a forma com que lidamos com o sistema financeiro?

Tudo indica que, com a integração do Pix ocorrida ainda na segunda fase de implementação do Open Banking, somada à ampla aceitação do meio instantâneo de pagamento do Bacen, para 2022 podemos esperar boas mudanças no mercado financeiro.

Grande parte delas será conduzida pelas fintechs, que ampliam a possibilidade de criação de novos produtos financeiros. Como elas conseguirão analisar as informações no Open Banking, ficarão cada vez mais capazes em desenhar soluções nichadas. É o caso das soluções de pagamento, das soluções de recebimento e de ferramentas para validação de dados bancários.

Para entender como as fintechs vêm agindo, modernizando e ganhando cada vez mais espaço no mercado financeiro, continue a leitura aqui: Meios de pagamento: Como as fintechs atuam na ampliação de serviços para empresas.

APIs para fintechs

Quer receber esses conteúdos e as novidades em primeira mão diretamente em seu e-mail?

Cadastre-se e receba as atualizações do blog e sobre a Transfeera diretamente em seu e-mail.

Ao informar meus dados, concordo com a política de privacidade

Usamos cookies e tecnologias similares para melhorar a sua experiência, personalizar publicidade e conteúdos de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossos termos legais, confira!